Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2012

O carteiro toca sempre duas vezes

Na sequência deste filme, realizado em 1946 por Tay Garnett, a atriz principal, Lana Turmer, converteu-se numa das primeiras divas do cinema e do "star-system" americano.

Este filme tornou-se o exemplo paradigmático do filme negro americano e deu origem a um remake, com o mesmo nome, em 1981, realizado por Bob Rafelson e protagonizado por Jessica Lange e Jack Nicholson.

O filme de Tay Garnett  foi realizado em 1946, baseado no romance de James M. Cain, The postman always rings twice, tal como o Obsessão, filme realizado em 1943,por Luchino Visconti.

Ciclo de Tertúlias de Filosofia

Um grupo de ex-alunos e professores de Filosofia da nossa Escola organizam um ciclo de debates com o objetivo de discutir a arte num contexto amplo, articulando-a com alguns temas sociológicos e políticos. Estão já agendados os dois primeiros debates, ambos no Grande Auditório às 15h15m.
15 de fevereiro
Professor Sousa Dias apresenta: Para que serve a Filosofia numa escola artística? Moderador: Luís Monteiro
5 de março Professor Ângelo Couto apresenta:
De que é que Marx é ainda o nome?
Moderador: Fábio Ramuni

Entre Florença e Guernica

Entre Florença e Guernica, de António Quadros Ferreira é o Livro da Semana.


"O sentido do íntimo, ou da intimidade, próprio da especificidade de cada ser humano, é compatível com o sentido do monumental, próprio da arquitectura e da perspectiva." (pág.34)


"Em Veneza, a linha de horizonte é a linha que separa a paisagem das figuras."(pág.47)


"Guernica significa também a tangência das formas conhecidas e não conhecidas num microcosmos histórico tornado pela história da arte em consciência contemporânea."(pág.195)



A PROPÓSITO DO INÍCIO DO CICLO DE CINEMA NA SOARES “SEIS MESES, SETE FILMES” ACTIVIDADE DO ÂMBITO DA BIBLIOTECA

Sem me querer alongar, quero deixar a minha modesta homenagem à iniciativa e ao cinema, fazendo votos para que venham até às próximas sessões todos os que se revirem nas palavras que deixo no texto que escrevi na Páscoa de 2009 e que foi publicado, salvo erro, no Blogue “O Caniço da Soares”. Um abraço a todos os interventivos espectadores do magnífico filme “A Palavra”/ Ordet de Carl Th. Dreyer que iniciou “a temporada”.
O CINEMA PARAÍSO “mora” em VILA NOVA DE MILFONTES
E não se trata de nenhum Giuseppe Tornatore , imortalizando o “seu” Alfredo e o “seu” Totó/ Salvatore ou a sua inesquecível Elena, numa pequena, pobre e ignorada terrinha do sul de Itália da II Guerra e do após-guerra…
Mas há nele o mesmo brilhozinho nos olhos, igual olhar apaixonado enquanto explica os truques, os desenrascanços, as mil e uma formas de espalhar, pelas recônditas aldeias alentejanas, o seu amor generoso pela “sétima arte”. António Feliciano é um septuagenário muito bem conservado que se afirma capaz de …