quinta-feira, 20 de outubro de 2011

You are welcome to Elsinore


(...)
Entre nós e as palavras, surdamente,
as mãos e as paredes de Elsenor
E há palavras  e nocturnas palavras gemidos
palavras que nos sobem ilegíveis à boca
palavras diamantes palavras nunca escritas
palavras impossíveis de escrever
por não termos connosco cordas de violinos


(...)
Entre nós e as palavras, os emparedados
e entre nós e as palavras, o nosso dever falar


Mário Cesariny